Quem tem direito e como agendar Perícia por Síndrome do Pânico no INSS

Perícia por Síndrome do Pânico

Perícia por Síndrome do Pânico é um procedimento que você pode realizar junto ao INSS. Quer entender como funciona esse formato de benefício? Acompanhe o texto!

Advertisement

Para quem sofre dos mais diversos transtornos, existe uma opção de se afastar do seu trabalho, sem ser prejudicado financeiramente, graças ao auxílio doença.

Antes de mais nada, temos que explicar que muitas pessoas ainda acreditam que apenas quem sofre acidentes pode receber esse benefício.

Ou então, pessoas que são acometidas por doenças ligadas à área de atuação, como LER (Lesão por Esforço Repetitivo); DORTs (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho), por exemplo.

No entanto, alguns tipos de desordens psicológicas e emocionais também são amparados pelo INSS.

Advertisement

Essas desordens estão incluídas na definição TAG (Transtorno De Ansiedade Generalizado) e causam enorme desconforto para quem é portador.

Uma dessas desordens, e que aumenta a cada dia, é a Síndrome do Pânico, cientificamente denominada Ansiedade Paroxística Episódica.

Quer entender a razão dessa doença permitir o auxílio doença? Não sabe como funciona o agendamento de perícia Síndrome do Pânico para solicitar o benefício?

Então esse é o texto perfeito para você!

Aqui vamos explicar o que é essa doença e como o INSS oferece benefício para as pessoas que sofrem com ela. Acompanhe o conteúdo nesses tópicos:

  1. O que é Síndrome do Pânico?
  2. A Síndrome do Pânico é coberta pelo auxílio doença por prejudicar o desempenho profissional
  3. O que causa Síndrome do Pânico?
  4. Pessoas com Síndrome do Pânico tem direito ao benefício do INSS? Como agendar Perícia por Síndrome do Pânico?
  5. Qual o tratamento para síndrome do pânico?
  6. A Perícia por Síndrome do Pânico é um direito?

Advertisement

O que é Síndrome do Pânico?

Síndrome do Pânico é o termo usado para descrever quando uma pessoa sofre ataques de pânico recorrentes e incapacitantes.

O transtorno de pânico pode ser caracterizado pela presença de ataques de pânico recorrentes e inesperados, que ocorrem em intervalos curtos.

Por vezes, ele se repete várias vezes em um mesmo mês.

Estes ataques se caracterizam por sentimentos repentinos de terror, mesmo quando não há perigo real.

Você pode sentir como se estivesse perdendo o controle, além de ter sintomas físicos, como:

  • Batimento cardíaco rápido;
  • Dor no peito ou estômago;
  • Dificuldade respiratória;
  • Fraqueza ou tontura;
  • Suor excessivo;
  • Sensação de calor ou calafrios;
  • Formigamento ou mãos dormentes.
Veja também
1 De 2


Infelizmente no Brasil, cerca de 4 a 6 milhões de pessoas sofram de síndrome do pânico.

A Síndrome do Pânico é coberta pelo auxílio doença por prejudicar o desempenho profissional

Os ataques de pânico podem acontecer a qualquer hora, em qualquer lugar e sem aviso.

Você pode viver com medo de outro ataque e pode evitar locais onde sofreu uma crise, por exemplo.

Para algumas pessoas, o medo toma conta de suas vidas e elas não podem deixar suas casas.

Inclusive, a doença impossibilita a pessoa de trabalhar, o que justifica a perícia Síndrome do Pânico visando apoio financeiro para o seu sustento e de familiares.

Em síntese, esta síndrome é mais comum em mulheres do que em homens.

Geralmente começa quando as pessoas são jovens – normalmente quando elas se encontram sob muito estresse.

Os ataques de pânico atingem um pico em cerca de 10 minutos e geralmente duram até meia hora.

É comum em pessoas que sofrem com a doença, desenvolver crises repentinamente, levando-a a exaustão emocional e física.

O que causa Síndrome do Pânico?

De fato, a opção de perícia Síndrome do Pânico é possível, porque não existe uma causa única para esse transtorno.

Uma série de fatores geralmente estão envolvidos e certamente um deles é o histórico familiar.

Pessoas que sofrem deste mal tendem a ter uma história familiar de transtornos de ansiedade ou depressão, e alguns estudos sugerem um componente genético.

Algumas condições médicas, tais como arritmias, hipertireoidismo, asma, e outras doenças também estão associadas ao transtorno do pânico.

E claro, experiências de vida extremamente estressantes, como abuso sexual na infância, redundância ou luto, foram associadas a ataques de pânico.

Períodos de estresse contínuo e implacável também são um fator de risco.

Pessoas com Síndrome do Pânico tem direito ao benefício do INSS? Como agendar Perícia por Síndrome do Pânico?

A Síndrome do Pânico é algo tão grave que, em alguns casos, a pessoa não consegue nem sair de casa e manter suas atividades normais.

Por isso que sim, quem sofre disso pode requerer a perícia Síndrome do Pânico e então o auxílio doença junto ao INSS.

Entretanto, mais informações sobre o procedimento, ou mesmo agendamento de perícia, estão disponíveis no site Meu INSS, ou pelo número 135.

O INSS vai amparar todos os segurados que não consigam exercer sua atividade por um período maior que 15 dias.

Contudo, é necessário passar por uma carência de 12 meses.

Além disso, é importante estar segurado, ou seja, pagar o INSS regularmente e naturalmente passar por uma perícia médica.

É neste momento, portanto, que um médico credenciado pelo INSS vai atestar se você é portador de TAG, portanto, necessita afastamento.

Qual o tratamento para síndrome do pânico?

A perícia Síndrome do Pânico e o auxílio doença também são pensados para a pessoa poder realizar o tratamento do problema.

Basicamente, o tratamento desta doença envolve sessões de psicoterapia, medicamentos ou uma combinação de ambos.

Já, por quanto tempo você precisará de tratamento, depende da gravidade do seu problema e de como você responderá ao tratamento.

É muito usada a terapia cognitivo-comportamental, onde você discute seus pensamentos e emoções com um profissional de saúde mental.

Este especialista ajuda a identificar os gatilhos do ataque de pânico para que você possa mudar seu pensamento, comportamento e reações.

À medida que você começa a responder de maneira diferente aos gatilhos, os ataques diminuem e, por fim, param.

No entanto, também podem ocorrer tratamentos via antidepressivos, que podem tornar os ataques de pânico menos frequentes ou menos graves.

Por fim, medicamentos ansiolíticos como benzodiazepínicos são comumente prescritos para tratar e prevenir ataques de pânico.

Eles ajudam com a ansiedade, mas apresentam riscos de vício ou dependência.

A Perícia para Síndrome do Pânico é um direito?

De fato, a Síndrome do Pânico e outras doenças descritas na TAG, são problemas de saúde sérios.

Está comprovado que podem levar a pessoa a se sentir incapaz de realizar suas atividades e vida normais.

Lembrando que mesmo que uma pessoa não seja segurada, ela pode acionar o BPC – Benefício de Prestação Continuada.

Especialmente se você perceber que isso atrapalha sua vida em sociedade.

No mais, é recomendado visitar o site Meu INSS ou ligar para o número 135 para conseguir mais informações.

Síndrome do pânico é coisa séria! Não deixe de buscar tratamento.

Saiba mais sobre Perícia Médica, veja aqui.

Por fim, se você achou útil este texto, lembre-se de compartilhar com mais pessoas para que sejam amparadas através do auxílio doença por Síndrome do Pânico.

Consulte também

Este site usa cookies Ok Mais detalhes

Termos & Política de Privacidade
error: Conteúdo protegido!!